Tecnologia ajuda pecuaristas crescerem de forma responsável

Neste início de ano, os pecuaristas precisa alinhar os objetivos e definir as melhores estratégias para ampliar a produtividade sem aumentar os custos

Neste início de ano, os pecuaristas precisa alinhar os objetivos e definir as melhores estratégias para ampliar a produtividade sem aumentar os custos Em qualquer atividade, todo início de ano é o momento de refletir, fazer o balanço do ciclo anterior e definir as metas para o próximo período. Na pecuária isso não é diferente, afinal, somente um bom planejamento que irá ajudar a fazenda a atingir níveis elevados de produtividade e consequentemente maior rentabilidade. Embora este crescimento seja importante, ele não pode ser desordenado, e mais que isso é preciso que seja responsável. Nesse sentido é fundamental se atentar a importantes pontos, como: gestão de desperdícios, economia circular e melhor conversão alimentar dos animais. Além disso, a avaliação do ciclo anterior, sanidade animal, gestão de recursos hídricos, capacitação da equipe, acompanhamento econômico-financeiro, entre outros. De acordo com a engenheira mecânica, Mariana Rodrigues, Diretora de Operações e Marketing da Siltomac, para o pecuarista atingir esses itens é preciso uma gestão eficiente. “Todo resultado bem executado começa com um bom planejamento e este precisa ser feito com antecedência, somado a isso é fundamental a adoção tecnológica”, destaca. De acordo com a engenheira mecânica, Mariana Rodrigues, Diretora de Operações e Marketing da Siltomac, para o pecuarista atingir esses itens é preciso uma gestão eficiente. “Todo resultado bem executado começa com um bom planejamento e este precisa ser feito com antecedência, somado a isso é fundamental a adoção tecnológica”, destaca.
Foto: Divulgação
Gestão de desperdícios Pensando no controle de desperdícios, por exemplo, há disponível no mercado algumas soluções. Entre os destaques está a balança inteligente e sem fio Solumac. A solução criada e patenteada pela Siltomac é uma ferramenta desenvolvida com inovação tecnológica que está transformando a rotina da pecuária moderna. Entre suas vantagens está sua portabilidade, ou seja, o operador pode levar consigo quando for carregar o misturador. Assim, ele acompanha com precisão o peso dos componentes da ração. Além disso, por ser portátil, elimina a necessidade de painéis repetidores e fios, permitindo seu uso em longas distâncias. “Também é um diferencial do equipamento sua transferência de dados via Wi-Fi em tempo real e é totalmente integrável com softwares de gerenciamento de rebanho. Esta é exatamente uma das maiores vantagens do Solumac, especialmente quando falamos em gestão de desperdícios e até de conversão alimentar”, destaca a engenheira mecânica. Entre suas vantagens está sua portabilidade, ou seja, o operador pode levar consigo quando for carregar o misturador. Assim, ele acompanha com precisão o peso dos componentes da ração. Além disso, por ser portátil, elimina a necessidade de painéis repetidores e fios, permitindo seu uso em longas distâncias. “Também é um diferencial do equipamento sua transferência de dados via Wi-Fi em tempo real e é totalmente integrável com softwares de gerenciamento de rebanho. Esta é exatamente uma das maiores vantagens do Solumac, especialmente quando falamos em gestão de desperdícios e até de conversão alimentar”, destaca a engenheira mecânica.
Foto: Divulgação
O equipamento possui ainda a importante função nota de cocho a qual o operador digita na própria máquina. Assim, após a autorização do usuário, o sistema faz a correção do peso a ser descarregado no cocho. Com a balança, o produtor passa a ter o controle total da nutrição do rebanho, e isso só é possível graças aos relatórios de carga e descarga que podem ser visualizados diretamente na Solumac ou no computador. “Além disso, essa tecnologia possibilita a otimização dos processos de manejo da nutrição animal, reduzindo custos e aumentando resultados. Juntamente a isso, possibilita a programação de dietas específicas para cada cocho, oferecendo controle total sobre a alimentação”, detalha a especialista. Economia circular Nas fazendas de criação de gado leiteiro ou as que realizam o sistema de engorda em confinamento e semiconfinamento, um dos principais problemas é o acúmulo de dejetos nas baias. Mas, o que até então para muitos era considerado motivo de dor de cabeça, com os equipamentos certos, é possível encontrar uma solução rentável e sustentável, afinal os resíduos sólidos provenientes da atividade pecuária podem se tornar um fertilizante orgânico riquíssimo.
Foto: Divulgação
Com a utilização de um eficiente esparramador de fertilizante orgânico, por exemplo, estes podem ser aplicados nas áreas de pastagem da fazenda, tornando-se uma alternativa, que além de sustentável pode gerar muita economia, principalmente com a redução do uso de fertilizantes químicos. “Reaproveitar os resíduos do confinamento é uma excelente alternativa principalmente para a recuperação de pastagem. O fertilizante natural já está na propriedade. É só usar o equipamento correto”, reforça Mariana. Ao utilizar o esparramador de fertilizantes, o produtor consequentemente reduzirá a quantidade de aplicação de substâncias químicas nos plantios, e assim, terá ganho direto na melhoria das características físicas do solo. Com foco na boa aceitação do público e na demanda por produtos de maior capacidade volumétrica, a Siltomac disponibiliza ao mercado o esparramador de fertilizante orgânico EFV12. Com capacidade máxima de carga de 12m³, uma das maiores em sua categoria no mercado, a novidade chega para complementar a linha já consagrada da empresa que conta com os modelos EF8,EF9 e EFV9. A novidade, além de ter a função de esparramador de esterco sólido (seco ou úmido), também pode ser utilizado para distribuição de outros tipos de matéria orgânica, como: cama de frango, compostagem e até resíduos industriais (sobretudo os provenientes do processo de cana-de-açúcar) em usinas. Eficiência na nutrição Para os bovinos terem melhor conversão alimentar, ou seja, maior ganho de peso, é preciso que haja eficiência na nutrição. Para que isso ocorra, o pecuarista deve se atentar a forma e a qualidade com que esses insumos são disponibilizados no cocho. Portanto, utilizar maquinários como misturadores de ração, pode garantir homogeneidade nessa dieta. De acordo com a Engenheira Mecânica da Siltomac, a empresa conta com uma completa linha de máquinas para pecuária que se encaixam nas mais variadas necessidades e perfis dos produtores, sejam eles de gado de corte ou leite, nos mais diversos sistemas de produção (confinamento, semiconfinamento ou TIP). Além disso, o portfólio tem foco e características voltadas a eficiência da homogeneidade da mistura da ração, que é um fator muito importante na nutrição. “Temos equipamentos que alcançam até 98% de homogeneidade na mistura”, finaliza a profissional.

Artigos Relacionados: