Após dificuldades, preços da carne suína se recuperam e sobem em fevereiro

Levantamento de Safras & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo no país avançou 3,54% no mês.

Levantamento de Safras & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo no país avançou 3,54% no mês. O mês de fevereiro registrou valorização tanto do quilo vivo quanto dos principais cortes de carne suína no atacado. Segundo o analista de Safras & Mercado, Allan Maia, os preços avançaram na primeira quinzena, após um mês de janeiro complicado para a cultura. De acordo com Maia, o aumento de consumo e aumento da reposição entre atacado e varejo foram fundamentais neste contexto. Além disso, os frigoríficos avançaram nos estoques, pagando um valor mais caro neste período.
  • Clique aqui para seguir o canal do CompreRural no Whatsapp
  • “Na segunda quinzena que veio o cenário inverso. Após a formação de estoques, com um atacado mais fraco, ocorreu uma retração nas compras. Com isso, os preços tanto no atacado quanto no vivo caíram”, explicou. Maia pontuou que uma das maiores preocupações foi o preço da tonelada exportada pelo Brasil. “O volume de exportação está bom, mas com preços ruins”, diz. “Para os custos de produção, a tendência é de queda, auxiliando nas margens do setor”, concluiu. Preços Levantamento de Safras & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo no país avançou 3,54% no mês, passando de R$ 5,67 para R$ 5,87. A média de preços pagos pelos cortes de pernil no atacado caiu 0,14%, passando de R$ 10,23 para R$ 10,21. A carcaça teve valorização de 2,24%, passando de R$ 8,92 para R$ 9,12. A análise semanal de preços de Safras & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo teve alta de R$ 116,00 para R$ 121,00. Na integração do Rio Grande do Sul a alta foi de R$ 5,15 para R$ 5,30, no interior do estado, de R$ 5,95 para R$ 6,00. Em Santa Catarina, o preço do quilo na integração avançou de R$ 5,10 para R$ 5,30. No interior catarinense, de R$ 5,75 para R$ 5,90, no Paraná de R$ 5,80 para R$ 6,15 no mercado livre e na integração de R$ 5,30 para R$ 5,35. No Mato Grosso do Sul, a cotação em Campo Grande teve aumento de R$ 5,55 para R$ 5,85 e na integração de R$ 5,15 para R$ 5,30. Em Goiânia, o preço seguiu em R$ 6,10. No interior de Minas Gerais os preços avançaram de R$ 6,30 para R$ 6,40 e no mercado independente de R$ 6,40 para R$ 6,60. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis teve alta de R$ 5,50 para R$ 5,90 e, na integração do estado, de R$ 5,05 para R$ 5,25. Exportações As exportações de carne suína “in natura” do Brasil renderam US$ 161,379 milhões em fevereiro (15 dias úteis), com média diária de US$ 10,758 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 71,636 mil toneladas, com média diária de 4,775 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.252,80. Em relação a fevereiro de 2023, houve alta de 12,5% no valor médio diário, ganho de 23,1% na quantidade média diária e queda de 8,6% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior. Fonte: Agência Safras VEJA TAMBÉM:
  • Crédito privado: ‘É importante criar alternativas para crédito rural’, diz Neri Geller
  • Com alta recorde da Agropecuária, PIB fecha 2023 em 2,9% – IBGE
  • Piscicultura supera adversidades e cresce 3,1% em 2023
  • ℹ️ Conteúdo publicado por Myllena Seifarth sob a supervisão do editor-chefe Thiago Pereira Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google NotíciasNão é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

    Artigos Relacionados: