• Terça-feira, 25 de junho de 2024

RS: empresas afetadas pela tragédia podem solicitar crédito ao BNDES nesta 3ª

Segundo Mercadante, as instituições financeiras já poderão receber propostas na terça. As linhas de crédito devem ser liberadas em 21 de junho.

Segundo Mercadante, as instituições financeiras já poderão receber propostas na terça. As linhas de crédito devem ser liberadas em 21 de junho. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social  (BNDES), Aloizio Mercadante, anunciou que, a partir desta terça-feira (11), empresas afetadas pela tragédia no Rio Grande do Sul poderão solicitar crédito em uma das linhas especiais da instituição. As linhas de crédito já haviam sido anunciadas pelo Ministério da Fazenda, no fim de maio. Em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (10), seis bancos já comunicaram que vão aderir às linhas de crédito, entre eles o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o Banco de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul (Badesul), o Banrisul, o Bradesco, a Cresol e a Sicredi, estas duas últimas cooperativas de crédito.
  • Clique aqui para seguir o canal do CompreRural no Whatsapp
  • Seguro para a atividade agrícola
    Seguro para a atividade agrícola
    Segundo Mercadante, essas instituições financeiras já poderão receber propostas na terça. As linhas de crédito devem ser liberadas em 21 de junho. “Os recursos precisam chegar na ponta o mais rápido possível”, disse Mercadante, que acrescentou que a demanda é “inédita” para os bancos. “Empresários precisam procurar gerentes de forma direta, isso acelerará a liberação.” São R$ 15 bilhões do BNDES aplicados nessas linhas de crédito, que terão duração de um ano. Segundo Mercadante, o governo fará avaliações semanais. Para obter esses créditos, os empresários devem ter operações em um dos 70 municípios em estado de calamidade pública. Também será necessário declarar as perdas com as enchentes. Será possível escolher uma das três linhas: para reaquisição de máquinas e equipamentos, para reconstrução de estruturas e para capital de giro. O valor máximo para máquinas e equipamentos é de R$ 300 milhões, com taxa de 0,6% a.m.; para reconstrução, R$ 300 milhões, com taxa de 0,6% a.m.; e para capital de giro, R$ 400 milhões, com taxa de 0,9% a.m., informou o presidente do BNDES. Segundo Mercadante, pessoas jurídicas de todos os portes poderão demandar créditos. Além disso, pessoas físicas como produtores rurais, transportadores e empresários individuais também estão aptos para solicitar a linha. Fonte: Estadão Conteúdo VEJA TAMBÉM:
  • Exportação de carne de frango cresce em maio, mas receita cai diz ABPA
  • Expansão do confinamento de bovinos indica consolidação da pecuária intensiva
  • Mercado de avicultura é aberto no Lesoto
  • ℹ️ Conteúdo publicado por Myllena Seifarth sob a supervisão do editor-chefe Thiago PereiraQuer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias Não é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

    Artigos Relacionados: