• Terça-feira, 23 de julho de 2024

Dorival e dirigentes da seleção brasileira ficam 'presos' nos EUA por causa de furacão

O motivo é a passagem do furacão Berryl, que atingiu a região do Texas

Quatro dias depois da eliminação da seleção brasileira na Copa América, Dorival Júnior, membros da comissão técnica e dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ficaram "presos" nos Estados Unidos. O motivo é a passagem do furacão Berryl, que atingiu a região do Texas, para onde a comissão se dirigiria após a partida contra o Uruguai, e impediu a operação do aeroporto de Houston. O furacão já deixou oito mortos e se dirige para o nordeste do país.

Dorival, Rodrigo Caetano, entre outros membros da delegação brasileira continuam em Las Vegas, onde a seleção foi eliminada pelo Uruguai no sábado. O plano original era pegar um voo para Houston e seguir para o Rio de Janeiro. Com o furacão na região, a alternativa será um voo sem escalas entre Nevada e o Rio na quarta-feira, com previsão de chegada na quinta-feira.

Isso não impacta os jogadores, no entanto. Aqueles que atuam no futebol brasileiro - Bento, do Athletico-PR, Guilherme Arana, do Atlético-MG, e Rafael, do São Paulo - já retornaram a seus respectivos clubes, para reforçar os elencos na 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os demais, que atuam na Europa, viajaram por conta própria para seguir as suas atividades programadas para o restante das férias.

O Brasil está desde o dia 30 de maio treinando nos Estados Unidos, com foco para a Copa América. Em caso de chegada na quinta-feira e, se não houver outros imprevistos, serão mais de 40 dias que a comissão técnica e dirigentes selecionados pela CBF estão nos EUA. Nesse período, a seleção disputou seis jogos (quatro pela Copa América e dois amistosos). Apesar da eliminação, o Brasil terminou o período invicto, com três vitórias e três empates - 66,7% de aproveitamento.

Os próximos compromissos da seleção brasileira serão em setembro, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2026. O Brasil irá enfrentar o Equador, em casa, e o Paraguai, em Assunção. A seleção ocupa a sexta posição na classificação geral - os seis primeiros garantem vaga direta para o Mundial, enquanto o sétimo terá que disputar a repescagem internacional.

Artigos Relacionados: